SANDI PATTY LOVE IN ANY LANGUAGE

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

UMA DEFESA HISTÓRICA DO GRANDE EVANGELISTA ACERCA DO CALVINISMO Charles H. Spurgeon



Logo por ocasião da minha conversão passei a prestar grande atenção, além da Palavra de Deus, aos hinos que exaltavam a minha nova fé, aos testemunhos de conversão e de fidelidade dos irmãos mais antigos da igreja, a pregadores que efetivamente levavam a mesma notícia às pessoas. Li entre tantos bons livros evangélicos, impressos e vendidos, não para dar lucro e fama as seus pretensos autores, um livro precioso, verdinho, de capa simples, escrito pelo grande Charles H. Spurgeon ( acho que o tenho em minha biblioteca depois de tantos anos ) narrando o seu trabalho evangelistico.

O Vídeo acima achei-o em um blog cristão evangélico, de posição calvinista. Recorrendo posteriormente ao Youtube pude baixá-lo  e postá-lo nessa postagem para algumas reflexões e análises. Para mim , pessoalmente há outras coisas mais importantes que um debate que inclua falta de amor as vezes , desprezo pelos irmãos de fé as vezes, sectarismo e falta de argumentos consistentes também. Repetições indefinidas e muitas vezes empobrecidas, de temas apenas circunstancialmente relevantes ( explico esse detalhe posteriormente ). O que me faz voltar a esse assunto é que além dos incrédulos, dos ateus, dos de outros credos não-cristãos ainda senti o desafio de não ignorar uma elite evangélica cristã que fundamentalmente se importa menos com os perdidos, faz menos por eles e tripudia qualquer um que não se alinhe com suas lista de crenças particulares. Não por mal talvez, por nossa própria natureza, opinião que esses mesmos compartilham. Não são poucas também as incoerências Bíblicas que tenho colecionado nos últimos dois meses e que passam desapercebidas por se repetirem tantas e tantas vezes os mesmos argumentos em nome de absolutamente nada e justamente por parte de crentes com mais condições de pregarem o evangelho que creem. Tais crentes, entretanto gastam mais tempo repudiando a pregação às multidões, à milagres, à simplicidade da compreensão Bíblica, e aparentemente não se importam com a perdição do ente mais próximo. seja da família ou estranho, em nome sempre da não eleição do outro. Como eles mesmos reconhecem a impossibilidade de saber quem é efetivamente eleito,  pois osso é de fato impossível para nós, pois efetivamente não dá para ver na testa de ninguém a inscrição "eleito", gostaria de  perguntar-lhes como se sentiriam se Deus, o Senhor dissesse explicitamente que o seu filho, filha, esposa, pai, mãe, seu médico, seu amigo, não fosse um dos "eleitos"  e portanto um perdido eternamente?

A reflexão que faço a seguir não apaga a obra e o testemunho de irmãos como João Calvino e o próprio Charles H. Spurgeon, mas do  lembrar que haviam, de fato, um embate particular em suas épocas e  com características próprias de conversão, de construção da fé individual, e isso ao meu ver, deve ser considerado. Aliás quantos calvinistas ( e abomino a necessidade de nomear as pessoas a partir de uma característica absolutamente secundária ) poderiam nas mesmas  condições, incluindo a tuberculose que o forçava a ensinar, pregar por duas horas até, sentado em uma cadeira amparado por outras pessoas? Que  força oriunda da fé teve esse homem e que embates teológicos era forçado a se envolver quando constantemente a sua crença era posta à prova por aquela fé que se impunha de forma hegemôncia sobre poderosos e ignorantes, indiscriminadamente, e que os fazia permanecer nas mais densas trevas?  

O problema é quando qualquer um de nós quer dar todas as respostas a temas que nem careçam de uma descrição mais analítica. Desconfie de qualquer livro, de qualquer autor, que possa arriscar-se em escrever duzentas páginas ou mais, explicitando alguns poucos textos Bíblicos, pois este certamente se equivocará e levará tantos outros a equívocos igualmente desnecessário. Forçosamente terá de se socorrer de outros que se alinhem a suas  idéias. A Bíblia só, aparentemente, não lhes basta e que algo  deva sempre  ser acrescentado, para a compreensão Bíblica mais correta, e desejável sempre algum tipo de tutoria de homens, até crentes, mas não somente a do Consolador prometido e dado a todos os que creem.

Vamos por partes, entretanto:

Primeiramente o discurso de Charles H. Spurgeon não foi destinado aos ouvidos de qualquer pessoa, com parcos conhecimentos doutrinários e Bíblicos, ou pessoas não afeitas e sensíveis a esse tipo de debate. Spurgeon conhecia muito bem quem eram e quais as posições de seus interlocutores e são essas posições que guiam o seu discurso ( mais ou menos o que faço agora, analiso cada afirmação de Charles H. Spurgeon e as analiso contextualmente, refutando-as ou não, com uma a apresentação de uma base lógica e Bíblica, que é o nosso caso ).

Em segundo lugar a espinha dorsal de seu discurso é o Calvinismo com o qual se alinha finalmente em oposição  ao Armenianismo difundido e acatado por outros em seus dias. Não é uma pregação do evangelho do qual foi grande expoente em sua época, mas de uma posição teológica. Grandes e sinceros pregadores tem hoje posições teológicas distintas que nem são tão persceptíveis ao ouvinte comum ( para o bem ou para o mal ). Essa distinção é importante. Trata-se de um debate entre crentes e não contra incrédulos. Comprove-se isso por volta de 1:14 min do vídeo quando ele afirma:

"Eu conheço alguns que pensam ser necessário ao seu sistema de teologia limitar o mérito do sangue de Jesus"

Como reflexo de quem argumenta através de um dicurso a eloquência se apresenta como forte elemento de convencimento ( idéias absurdas podem seer apresetnadas com eloquência surpreendente ) cita a infitude de Deus e a miríades de salvos ( 2:52 ; 3:11min ) para afirmar uma  primeira impropriedade da teologia calvinista (  3:52 min )   que Cristo não morreu por todos. Você pode até afirmar que isso não é exatamente um problema. Os salvos reconhecem a obra redentora de Nosso Senhor,  e portanto ao final das contas a vida, morre e ressurreição vitoriosa de Jesus só é válida para os salvos, já que os demais por terem-na rejeitado ou a ela não serem predestinados se perderam mesmo. Mas a repercussão em termos de pregação aos demais homens e mulheres são desastrosas. Chega-se a uma afirmação absurda ( 3:52/53 min ):

Se Cristo pretendia salvar na cruz, todos os homens, então ele pretendia salvar aqueles que estavam perdidos antes que ele morresse.

Para justificar a teologia da qual objetiva a sua defesa chega a desvarios racionais tais como encontramos em 



Se a intenção de Cristo era salvar todos os homens, quão lamentavelmente, ele  deve ter ficado  ( em 4:24  min ) refere-se ás milhares de pessoas lançadas no inferno de acordo com a  teoria da redenção universal (!!) Ficamos sabendo qual das idéias de seus opositores Charles H. Spurgeon se põe a combater. Será que é o mesmo inimigo que os calvinistas de hoje tem como desafio diante de si combater? Salvação final de todos é chamada Reconciliação Universal, que aparentemente ninguém translocadamente defende hoje em dia, particularmente no Brasil.


Em ( 4:53 min ) outra idéia absurda no meio evangélico, portanto é impensável o calvinismo como teologia de combate a essa idéia:
 
Pensar que o meu Salvador  morreu por homens que estavam ou estão no inferno, apresenta-se a mim como uma suposição horrível demais para que eu possa acolhê-la.

Pergunto, que igreja evangélica cogita dessa idéia absurda e estapafurdia a ponto de se recorrer ao calvinismo como única e mais tangível  resposta?

Em ( 5:50 min ) em diante o discurso eloquente prossegue sem uma citação Bíblica sequer com referências a mitologia ( parte inerente naturalmente a dicursos destinados a elites cultas, como são círculos teológicos ).

Em ( 6:31 min ) cita Agostinho ( só para citar eu sei quem foi Agostinho e de sua real importância para a formação do pensamenteo cristão a partir de sua época em diante ). Eu preciso de Santo Agostinho para entender a revelação Bíblica? Ele ou o conhecimento de seu pensamento só me são úteis para entender como o pensamento filosófico-cristão subsequente se desenvolveu até hoje com suas idas e vindas, nada mais e nada menos que isso.   

Ainda a partir de ( 6:31 min ) descobrimos que a época, o calvinismo era considerada uma religião e portanto uma igreja menos divina, mais secular que a Igreja Católica Romana e Charles H. Spuergeon faz uma defesa  apropriada. Cita ele, Santos Agostinho, os Puritanos, volta no tempo, sem citar nomes, supõe-se conhecidos pelos seus opositores, dos pais da fé, até Cristo, defesa que contrapõe a malfadada história da Igreja católica e a sua "sucessão apostólica". Vemos que o campo das disputas é absolutamente outro dos debates modernos e contemporâneos.


Em ( 7:45 min ) cita a sua própria eleição juntamente com os demais calvinistas como valorização da sua teologia  ( não igreja ). 

Em ( 8:18 min ) apresenta o argumento de que um homem não pode apresentar uma crença errada sem que a  sua vida venha a apresentar uma vida errada. Eu creio que uma coisa naturalmente leva a outra. 

 Trata-se de um argumento e uma comparação lógica para o momento do debate, para calar os interlocutores embora a Bíblia demonstre curiosamente que não é sempre assim. A minha fé é correta ( se o é ) não porque eu necessariamente consiga ser melhor do que outro que não apresenta a fé correta conhecida e pregada por mim ( deveria !!)


Em ( 8:57 min ) dá a bordoada lógica final, em termos de discurso, "a menos que Cristo venha  a ser crucificado de novo e exposto á vergonha", sensibilizando os seus interlocutores e opositores que também se consideram cristãos e crentes no Salvador.

Essa é uma análise feita de um excelente documetário sobre a defesa Charles Haddon Spurgeon  acerca do Calvinismo frente a seus interlocutores e opositores em sua época. Está disponível no YouTube em quatro partes, sendo essa a quarta delas,em  um ótimo trabalho produzido por Vídeo Reformados, Uma defesa do Calvinismo, com narração de Josemar Bessa.

O objetivo dessa postagem não é denegrir o calvinismo nem tão pouco a figura de João Calvino mas de apresentar o cenário próprio da época dos referidos embates e da secundária importância de trazer literalmente tal discussão para os dias de hoje, apenas por simpatia a uma ou outra posição.

Charles Haddon Spurgeon viveu entre um pouco depois do início e quase fim do século XIX, mais exatamente, junho de  1834- janeiro de 1892.


por Helvecio S. Pereira

COMENTE ESSE "POST"






Nenhum comentário:

Postar um comentário

O QUE ACHOU DESSE ASSUNTO?

CLIQUE NA IMAGEM E FAÇA O DOWNLOAD DESSE E-BOOK

CLIQUE NA IMAGEM E FAÇA O DOWNLOAD DESSE E-BOOK
Clique na imagem acima e saiba como fazer o download desse importante e-book

EM DESTAQUE NA SEMANA

VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE LER




09 Dez 2010
Reflexões acerca do que a Bíblia revela e declara sob a ótica cristã autêntica. Nada porém substitui a leitura pessoal da Bíblia, a inerrante Palavra de Deus. LEIA A BÍBLIA! Salmos 119:105 Lâmpada para os meus pés é tua palavra, ...
19 Dez 2010
Essa pessoa sai pensando em Deus de um modo ou de outro, e em decisões que fatalmente terá de tomar frente ao divino. Nas prisões, após ouvir um pregador ou missionário de uma ou outra igreja, os criminosos mais terríveis param para ...
01 Dez 2010
A Bíblia é fonte inesgotável de ensinamentos dados do ponto de vista de Deus. As Sagradas Escrituras só não revelam o que, segundo a aprovação de Deus, Ele mesmo por Si não quer revelar-nos. Deus não revela coisas imposto pela ...
09 Dez 2010
Infelizmente ou ao contrário, como seres sociais e assim planejados por Deus, só construímos conhecimento em cima de informações e conhecimentos que nos antecedem. Por isso é natural não poucos de nós repetirmos conclusões feitas por ...

UM ABENÇOADO E VITORIOSO ANO NOVO A TODOS! OBRIGADO A TODOS OS LEITORES E VISITANTES!

Arquivo do blog

TEOLOGIA EM DESTAQUE: DIVERSAS POSTAGENS


26 Ago 2010
Nessa postagem quero deixar claro que dentre as diversas teologias usadas ( teologia popular, teologia leiga, teologia ministerial, teologia profissional e teologia acadêmica ) a que move a igreja e faz avançar o seu ...
27 Out 2011
Por experiência entenda-se todas as comprovações factuais acerca do que se crê conforme a teologia crida, seja essa oficial, oficiosa, leiga, individual, etc. Assim posto, é necessário colocar que o que me fez tocar nesse ...
25 Ago 2010
A teologia leiga é portanto um passo além da teologia popular, na verdade uma passo acima. Quando um crente dedica-se mais sistematicamente a investigação da sua fé , buscando uma melhor forma de não só expor o ...
11 Jan 2011
Conforme postagens anteriores que esclarecem a diferença entre teologia oficial e leiga, evidentemente em todas as igrejas há, por parte de seus membros uma teologia mais popular e uma teologia pessoal. Mesmos ...

links úteis

Atenção!

TODAS AS NOSSAS POSTAGENS TRAZEM ABAIXO LINKS PARA COMPARTILHAMENTO E IMPRESSÃO E SALVAMENTO EM PDF. NO CASO CLIQUEM 'JOLIPRINT' E UM SITE CONVERTERÁ O POST EM UM PDF AGRADÁVEL DE SER SALVO E PORTANTO GUARDADO PARA LEITURA POSTERIOR ( fica visível em alguns navegadores, aproveite essa funcionalidade extra! )

CRISE NO CATOLICISMO

ACESSE JÁ CLICANDO NO LINK ABAIXO

ACESSE JÁ CLICANDO NO LINK ABAIXO
VÁRIAS VERSÕES, ESTUDOS SOBRE CADA LIVRO DAS ESCRITURAS

NÃO PERCA UMA POSTAGEM DIGITE ABAIXO O SEU E-MAIL OU DE UM AMIGO

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

ATUALIDADE ! CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E LEIA AGORA MESMO!

ATUALIDADE ! CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E LEIA AGORA MESMO!
NÃO PERDER O FOCO...QUAL O REAL PRINCÍPIO DO CULTO? CLIQUE NA IMAGEM ACIMA E ACESSE

CURSO TEOLÓGICO GRÁTIS! *HÁ TAMBÉM OUTROS CURSOS DISPONÍVEIS

QUEM INVENTOU O APELO NOS CULTOS?

SOBRE O LIVRO DE GÊNESIS, LEIA AS PRINCIPAIS POSTAGENS

25 Nov 2010
Tenho algumas vezes, em minhas despretenciosas reflexões ( despretenciosas por não terem o tom acadêmico e muito menos professoral, são apenas reflexões ), dito que se não se crer no que o Livro de Gênesis declara, não é necessário ...
31 Jan 2011
-A razão das atuais, ou pelo menos de predominância histórica, das condições existenciais e morais do homem têm no Gênesis a sua satisfatória resposta. A existência de condições nem sempre e totalmente favoráveis a nosso conforto ...
11 Jan 2011
Como parte do pentateuco, o Gênesis, depreciado modernamente graças a nossa submissão e endeusamento da ciência, que com a sua contribuição à saúde, tecnologia e construção material da sociedade, pouco ou quase nada tem a dizer sobre ...
21 Nov 2010
A religiosidade cristã moderna ou atual, de há muito tem se contentado e desprezado as narrativas de Gênesis, precioado por parte majoritária de setores quase que totais do mundo científico e da falsa sensação de que tudo pode ser ...

O GÊNESIS, COM NARRAÇÃO DE CID MOREIRA E IMAGENS

NÃO DEIXE DE LER OS SEGUINTES POSTS DENTRE OS MAIS LIDOS...

29 Mai 2010
UM LIVRO OBRIGATÓRIO PARA CATÓLICOS E EVANGÉLICOS ACERCA DA ERRÔNEA CULTURA DO CULTO A MARIA. Recebi por indicação do irmão Jorge Fernandes Isha, um e-book gratuito, de leitura obrigatória para os evangélicos e para ...
16 Fev 2010
Judas era o mais culto, de origem e status social diverso dos demais, de outra cidade, e foi substituído não pelo apóstolo dentre os discípulos eleito pelos demais, por própria escolha de Jesus, após a morte de Estevão, Saulo, discípulo de Gamaliel, provavelmente o mais preparado ...Melquesedeque, Maria , José, e tantos outros. Deus se dá a conhecer plenamente a cada um que o ama. O ue Ele fará na história as vezes não noscompete saber, as vezes sim. Essa é a diferença. ...
19 Mar 2010
Tal qual os fariseus, põem não poucos impencilhos que vão desde reparações a pregação simples e com pouca ligação com a hermeneutica e pregação convencionais, a música, letra das canções, a ordem do culto, forma dos apelos e ... Essa pessoa , esse novo crente, como filho ou filha de Deus de fato, tem agora uma nova vida, como Madalena, Zaqueu, o Gadareno, o Centurião, Nicodemos,o ladrão da cruz, Marta e Maria, Lázaro ( não necessariamente nessa ordem ), e tantos outros. ...
04 Mar 2011
Nesse aspecto seria legítimo um católico cultuar Maria como N.Senhora, um muçulmano a Maomé como seu legítimo profeta, um budista como objeto de culto, e assim por diante. Todoslçegitimamente amparados por sentimentos sinceros e ...
English (auto-detected) » English




English (auto-detected) » English


English (auto-detected) » English

VISITE JÁ UM BLOG SOBRE ATUALIDADES RELIGIOSAS E FATOS IMPORTANTES NO MUNDO

VISITE JÁ  UM BLOG SOBRE ATUALIDADES RELIGIOSAS E FATOS IMPORTANTES NO MUNDO
CONTANDO OS NOSSOS DIAS ACESSE JÁ. CLIQUE AQUI!

ESTUDE EM CASA.TRABALHE EM CASA!

leitores on line

OPORTUNIDADE!

LEIA: E-BOOKS EVANGÉLICOS GRÁTIS Clicando na imagem a abaixo você fará os downloads dos mesmos