SILAS MALAFAIA NO "NA MORAL" COM PEDRO BIAL!

https://www.facebook.com/photo.php?v=1402934093259693

O NATAL JÁ PASSOU E O ANO NOVO TAMBÉM. OBRIGADO A TODOS OS LEITORES E VISITANTES!

EM DESTAQUE! LEIA! DIVULGUE!

EM DESTAQUE!  LEIA!  DIVULGUE!
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA E SAIBA MAIS

domingo, 2 de janeiro de 2011

A HISTÓRIA DE SANSÃO, UM ESTUDO BASEADO NA NARRATIVA BÍBLICA E AS LIÇÕES A PARTIR DE SUA VIDA E DRAMAS



A história de Sansão é contada nos capítulos 13 a 16 do livro de Juízes.


ATENÇÃO! VOCÊ PODE ESTUDAR A HISTÓRIA DE SANSÃO EM SEU COMPUTADOR COM TODA A COMUNIDADE COM UMA BÍBLIA ELETRÔNICA INTEIRAMENTE GRÁTIS EM QUE AS PÁGINAS PODEM SER PASSADAS COMO NUMA BÍBLIA DE PAPEL E COM O SOM DAS FOLHAS SENDO VIRADAS, ALÉM DE CHAVE BÍBLICA, DICIONÁRIO BÍBLICO, ESPAÇO PARA ANOTAÇÕES E POSSIBILIDADE DE IMPRESSÃO, ALÉM DE "CAIXINHA DE PROMESSAS BÍBLICAS"


VEJA:



BAIXE GRATUITAMENTE AGORA MESMO UMA BÍBLIA DIGITAL PARA O SEU COMPUTADOR




ESTUDO SOBRE A VIDA DE SANSÃO NA BÍBLIA:

A despeito da desconfiança de parte de crentes membros de igrejas evangélicas tradicionais, a respeito das ações da IURD no Brasil como proprietária da Rede Record de televisão, as produções televisivas, "A História de Ester" e agora "Sansão e Dalila" não são sem algum impacto positivo como asseveram. O avanço da Palavra de Deus no mundo se dá por etapas e não são desassociadamente. Hoje ( 02 de jan de 2011 ) a Rede Bandeirantes em decorrência da estréia na Rede Record da minissérie homônima em dezenove capítulos, no dia 04 de janeiro as 23:00hs em rede nacional, exatamente agora ( 18:00h ) veicula um dos filmes produzidos por Hollywood, " Sansão e Dalila". 


De um modo ou de outro milhões e pessoas conhecerão, incluídas aí jovens e crianças, e outros relembrarão dessa história bíblica de conhecimento universal. Como alguns evangélicos podem dizer com propriedade que isso seja de pouca conta? Ignorando? Criticando? Acho que não deve-se aproveitar a oportunidade e falar sobre a Palavra de Deus, compartilhá-la e ensiná-la. Voltando a  estudar as lições complexas  que Deus certamente deseja que aprendamos através de acontecimentos ocorridos a cerca de três mil e cem anos atrás.

Abaixo um estudo longo, mas que vale a pena ser conferido, e gasto tempo em leitura devida dos registros bíblicos e oração. Como é longo sugiro imprimi-lo, para acompanha-lo melhor, pode também e enviá-lo a amigos e irmãos. Deus nos abençoe.



SANSÃO – O SEGREDO DA VIDA DE CONSAGRAÇÃO


INTRODUÇÃO



Sansão teve um chamamento muito sublime, como Samuel, como João Batista, mas o final da sua vida foi tão diferente. Por que DEUS coloca a história de Sansão na Bíblia? Por que a história dele é contada com tantos detalhes tão elaborados? Quando olhamos o final do ministério de Sansão, não dá para negar que ficamos um pouco desapontados. Ele morre cego no meio dos seus inimigos. Sansão havia sido levantado para ser um juiz de DEUS, mas nós vamos ver que lá no final de sua vida, o povo de DEUS continuava tão cativo quanto no início de sua vida.

A história de Sansão nos mostra de forma sublime como DEUS levanta um homem comum, mas com um chamamento tão glorioso para sustentar seu testemunho entre Seu povo. Israel havia negligenciado sua vocação, e, portanto agora, DEUS vai usar este homem de forma surpreendente para lembrar Seu povo de que eles foram chamados segundo o propósito de DEUS.

A vida e o ministério de Sansão nos ensinam acerca de quatro princípios que jamais poderemos esquecer: primeiro, nossa vocação celeste; segundo nosso chamamento para sustentar o testemunho de DEUS, isto é Seu direito aqui nessa terra; terceiro, a consagração como fonte do nosso poder espiritual, e quarto, o propósito eterno de DEUS, porque todos esses itens: vocação, chamamento e consagração estão inseridos no propósito eterno de DEUS para conosco. Jamais iremos compreender todos estes itens se não conhecermos o que é o propósito eterno de DEUS.

Na vida de Sansão pode aprender duas lições bem práticas que tocam nossa vida cristã: 

1) O poder de DEUS demonstrado de maneira impressionante; 

2) A influência sedutora que o mundo exerce sobre os santos com a finalidade de lhes roubar a consagração.



A ESTRUTUTA DO LIVRO



Existem alguns pontos que não podemos ignorar quando estudamos a vida de Sansão. A expressão “o Anjo do SENHOR” fala-nos das aparições Teofânicas do SENHOR JESUS no Antigo Testamento. Em todo Antigo Testamento, ocorre 73 vezes. No livro de Juizes são 16 vezes. Na história de Sansão são 6 vezes. Creio que isso nos mostra de forma evidente, o quanto para DEUS toda foi importante todos os episódios que envolveram a vida desse homem. Espiritualmente falando, o ESPÍRITO SANTO nos deu a história de Sansão como uma escola onde podemos aprender sobre a importância da nossa vocação celeste, o significado do nosso chamamento, o peso de glória que há em nossa vida de consagração e a dimensão do propósito eterno de DEUS.


A história de Sansão é contada nos capítulos 13 a 16 do livro de Juízes. O Espírito do SENHOR deixou uma espécie de estrutura ali. Vamos ver essa estrutura aqui:



Capítulo 13 – Vocação, chamamento e consagração:


Ä Nascimento de Sansão. Seu nascimento foi um milagre; assim como Ana a mãe de Samuel e Isabel mãe de João Batista, todas elas eram estéreis. Temos que estudar a vida de Sansão e ver o que há de coincidência entre ele, Samuel e João Batista.


Ä O chamamento dele para ser um nazireu de DEUS. Diferentemente de outros nazireus que eram temporários, o nazireado de Sansão era para vida toda. Da mesma forma nós também fomos “escolhido em CRISTO, antes da fundação do mundo, para sermos santos (condição interior) e irrepreensíveis (condição exterior) perante Ele...” – (Ef 1.4,5).


O chamamento dele para trazer libertação ao povo de Israel, e o início do ministério dele, quando diz que o ESPÍRITO do SENHOR começou a movê-lo. Todo poder e capacidade de Sansão não era natural em sua vida, e sim que o ESPÍRITO SANTO que o impelia a fazer coisas extraordinárias.



Capítulos 14 e 15 - o segredo da força daquele que é consagrado a DEUS. Nesses capítulos há uma série de eventos nos quais a força de Sansão é mostrada. É fácil guardarmos essa estrutura se considerarmos três pares de eventos:


1.Sansão mata um leão/ Sansão mata 30 filisteus


2.Sansão queima os cereais dos filisteus, as vinhas das olivas; fere os filisteus com grande carnificina;


3.Sansão arrebenta aquelas cordas que o estavam amarrando; Sansão mata mil filisteus com uma queixada de jumentos.



Capítulo 16 pode ser resumido em três eventos:

1º.Sansão vai numa cidade dos filisteus, vê uma prostituta e fica com ela; depois ele sai da cidade.

2º.Sansão conhece Dalila e, por três vezes, Dalila tenta descobrir qual o segredo da sua força. Finalmente ela o trai e o entrega aos filisteus.

3º.A morte de Sansão.



Força e Fraqueza



Se lermos os capítulos 14 até 15.20, vamos perceber que certas coisas são enfatizadas ali. Eu resumiria numa só palavra: força. E quando lemos o capítulo 16, podemos resumi-lo também numa só palavra: fraqueza.




Qual a relação entre Sansão, Samuel e João Batista?



Na Bíblia encontramos dois homens que tiveram sua história de vida parecida com a de Sansão, esses homens foram Samuel e João Batista.


Samuel foi aquele profeta usado por DEUS para aquele período de transição, quando o povo de Israel ia passar da teocracia para a monarquia.


João Batista - foi o precursor de nosso SENHOR JESUS CRISTO. Como o resultado do ministério de João Batista, veio o nosso Rei, veio o nosso SENHOR JESUS CRISTO.


Há detalhes que precisamos conhecer sobre Samuel e João Batista. Quando Samuel exercia seu ministério, é importante sabermos que nesse tempo a arca da aliança não estava mais no tabernáculo, pois ela havia sido capturada pelos filisteus, os inimigos que Sansão na pôde vencer - (1 Sm 4.5-11,21). Aqui temos uma grande lição: a arca era um testemunho da glória de DEUS e da Sua presença. Podemos correr o risco de ministrar em nosso serviço ao SENHOR sem a presença do SENHOR. Porque Sansão foi leviano em sua vida de consagração, vemos mais tarde a glória de DEUS ser exposta a vergonha e ao opróbrio.


João Batista foi aquele profeta que profetizou e viu o cumprimento da sua profecia. Mais ainda, ele foi aquele que batizou o SENHOR JESUS. Quando ele O viu disse: “eis O Cordeiro de DEUS” - (Jo 1.29). A Bíblia diz que João Batista cumpriu seu ministério quando disse: “Mas, ao completar João a sua carreira, dizia: Não sou quem supondes; mas após mim vem aquele de cujos pés não sou digno de desatar as sandálias” – (At 13.25). Quando foi que ele disse isto? Ele disse isto um dia antes de batizar o SENHOR JESUS – (Jo 1.27-29). Quando o SENHOR JESUS vai até ele, ele declara: “Eis o Cordeiro de DEUS”. Naquele instante o Pai revelou quem era Seu Filho a João. Da mesma forma que ocorreu com Pedro a caminho do Monte Hermom em Mateus 16.17,17, aqui também, houve uma revelação do Pai a João. Um fato curioso no ministério de João Batista é que ele não se torna um seguidor do Cordeiro, e sim que ele paralelamente prossegue em seu ministério. Em Lucas 7.16 a 18, temos aquele episódio onde João Batista envia dois dos seus discípulos a perguntarem ao SENHOR JESUS se Ele era o Messias, ou eles ainda teriam que esperar outro. Essa dúvida de João nos mostra que em seu caminho paralelo ele não foi capaz de conhecer o SENHOR JESUS como O CRISTO. Seu ministério já havia terminado como profeta, porque a parti daquele momento DEUS falaria por meio do Seu Filho – (Hb 1.1-3). Há lições preciosas que tocam nossa vida de consagração nessa história de João Batista. Como é perigoso ter uma revelação de CRISTO e não segui-Lo. Diferentemente de João batista, Saulo de Tarso quando O encontrou naquela visão do caminho de Damasco, ele deixou tudo para segui-Lo. Aquela visão governou sua vida a ponto dele dizer: “eu não fui desobediente a visão celestial” – (At 26.19). Que solene advertência temos aqui para nossa vida cristã prática.

A conclusão que tenho desses três homens é que DEUS quer nos falar é que assim como Sansão, podemos viver a vida cristã levianamente, desprezando nossa consagração, trocando seu real valor por uma vida mundana; ou mesmo como Samuel, que embora tenha sido um fiel servo de DEUS, um homem de caráter e coragem, que mesmo em um tempo de profunda crise ministerial, foi fiel a DEUS; aquele que desempenhou com fidelidade sua consagração e preparou o caminho para o rei Davi; porém, no seu tempo o verdadeiro problema não era Saul, e sim que a arca de DEUS, não estava no tabernáculo. Quando você lê o Evangelho de Marcos no capítulo 9 e os verspiculos 14 a 28, voce vê aquele episódio daquele garoto que era possuido por um espirito imundo. O versículo 18 diz que aquele espírito malígno apanhava aquele garoto e o lançava por terra, e ele espumava, rilhava os dentes e ia se definhando. O pai disse aos SENHOR JESUS que rogou aos discípulos que o expelissem, e eles nada puderam fazer. Depois de dar uma severa repreensão, pediu que lhe trouxesse o garoto, e o espírito imediatamente o agitou com violência, e, caindo ele por terra, revolvia-se espumando. O versículo 25 diz: “Vendo JESUS que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai deste jovem e nunca mais tornes a ele”. Mais tarde, quando estava a sós com o SENHOR JESUS, já em casa os discípulos lhe perguntaram em particular: “Por que não pudemos nós expulsá-lo? 29 Respondeu-lhes: Esta casta não pode sair senão por meio de oração e jejum” – (vv.28,29). Espiritualmente falando este episódio nos ensina que precisamos ter uma visão clara da nossa realidade espiritual. Ao ler essa passagem podemos ver a nossa real condição espiritual. Qual era a grande “casta” nos dias de Samuel? O tabernáculo sem a arca. Por mais que sejamos pessoas consagradas a DEUS, é vital que tenhamos discernimento dos poderes das trevas que nos cercam; ou mesmo, qual é o real problema que tenho q confrontar. Todo médico sabe que a única maneira de se erradicar uma doença não é tratando a conseqüência e sim a causa. Como João Batista, muitos de nós estamos em um caminho paralelo ao do nosso SENHOR JESUS. Preferimos seguir nossos conceitos e doutrinas. Nossa vontade sobrepuja a do SENHOR. Talvez isso explique pra você a questão da grande tragédia que vive a Igreja do SENHOR JESUS. Precisamos ser seguidores do Cordeiro aonde quer que Ele vá – (Ap 14.4).



A IMPORTÂNCIA DA CONSAGRAÇÃO COMO FONTE DE PODER ESPIRITUAL



Onde consiste nosso poder interior? Em nossa vida de consagração. Na história da vida de Sansão existe um princípio espiritual - A importância da vida de consagração a DEUS como a fonte do poder espiritual em nosso conflito com o mundo, a carne e o diabo.


Vamos estudar esse assunto na vida de Abraão. Quando estudamos a vida de Abraão podemos dividir toda vida de Abraão em 4 altares. O que é um altar? É um símbolo de adoração e consagração; um símbolo de uma vida espiritual consagrada a DEUS.


Consagração é andar com DEUS


Em Isaias 41.8 diz: “Abraão, meu amigo,”. Esta declaração de DEUS é impressionante. Como isto se tornou possível na vida de Abraão? Para compreendermos isto é necessário estudarmos os 4 altares que marcaram a vida deste homem e como esses altares são para nós uma escola onde aprendemos sobre a essência do que é a verdadeira vida espiritual de consagração a DEUS. Esses altares na vida de Abraão explicam como é possível chegar a este nível de experiência com DEUS.


Durante a vida de fé de Abraão nós constatamos a edificação de 4 altares, erguidos no processo de sua jornada interior de conhecimento de DEUS e amizade com Ele. Cada um desses altares aponta para um aspecto do trabalho da cruz em nossas almas, ampliando nossa consagração, ou seja, o nosso relacionamento com DEUS e nossa verdadeira espiritualidade.


O altar no V. T., é uma figura da cruz no N. T.


O nosso SENHOR JESUS CRISTO e a cruz são inseparáveis. Sem a cruz CRISTO não é CRISTO, Ele não pode salvar-nos. A cruz, mais do que um simples objeto de tortura para alguns, ou um simples objeto de adorno para outros, define a própria natureza de CRISTO! E quanto a nós? Um cristianismo sem cruz não é cristianismo de forma alguma, mas uma pobre imitação da doutrina de CRISTO. Uma vida cristã sem cruz não é vida cristã de forma alguma, mas apenas um “ego” adornado com os ensinos de CRISTO! Nós necessitamos da cruz tratando profundamente conosco, para que possamos ser homens e mulheres espirituais, vivendo vidas espirituais e andando com DEUS.


Os 4 altares



.Siquém - Gn 12.6-7 = altar da revelação. Podemos chamá-lo de altar da revelação. DEUS revelou-se ali a Abraão: “Apareceu o SENHOR a Abraão”. Precisamos saber que a cruz e a revelação andam juntas. Na medida em que a cruz trata conosco, é que teremos genuína revelação de quem DEUS é de quem nós somos, do que a Igreja é e, do que o mundo é. Carecemos da visão real destas 4 coisas para que vivamos uma vida que seja verdadeiramente espiritual!



.Entre Ai e Bethel - Gn 12.8 = Podemos chamá-lo de altar da separação. Abraão deixou Ai para trás e tinha Betel diante dele. “Ai” significa, literalmente, "monte de ruínas" e Betel significa “Casa de DEUS”. Aqui podemos dizer que é a vida de altar, a consagração, que permite que a cruz separe-nos do mundo, do amor ao mundo, de “tudo o que há no mundo” (cobiças, concupiscências e soberba). A cruz coloca o mundo para trás de nós e mantém viva e clara diante de nós a visão da Casa de DEUS (Betel).E não somente a visão de Betel, mas a cruz operando em nós habilita-nos a participar de Betel, a “sermos edificados casa espiritual, para sermos sacerdócio santo...” - (1 Pe 2.5). A cruz introduz-nos na igreja. CRISTO passou pela cruz e a igreja surgiu, nós também precisamos “passar pela cruz” para que a igreja, em sua realidade prática e viva, possa surgir. Só a cruz pode separar-nos do mundo e introduzir-nos na Casa de DEUS. Diante de DEUS, por causa da obra da cruz de CRISTO no calvário; nós já somos a Casa de DEUS, a igreja, o corpo de remidos. Mas, o lado subjetivo desta verdade, ou seja, refletir em nosso viver, conduta e relacionamentos o fato espiritual de sermos Casa de DEUS, depende do trabalho da cruz em nossas vidas. Note que após este 2º altar, Abraão desce ao Egito “para aí ficar” (Gn 12.10), contrariamente à vontade de DEUS. Como acontece conosco, também Abraão tinha já alguma experiência do altar, mas tinha também seu “homem natural” não profundamente tratado pelo SENHOR. As suas escolhas, maneiras, idéias e caminhos eram ainda bem independentes de DEUS. O SENHOR tratou com ele, misericordiosamente, como vemos em Gn 12.10–20, e o trouxe de volta. Ele “fez as suas jornadas do Neguebe até Betel, até ao lugar onde primeiro estivera a sua tenda, entre Betel e Ai; até ao lugar do altar, que outrora tinha feito...”. Abraão voltou ao mesmo ponto de onde se desviou! DEUS não pula etapas em nosso discipulado.



altar - foi levantado logo após a sua separação de Ló - Gn 13.14–18. foi levantado logo após a sua separação de Ló - (Gn 13.14–18). Comunhão. Aqui temos mais um degrau na vida consagrada de Abraão. Este faz a escolha, mas por causa da contenda entre seus pastores e os de Ló, ele pede a Ló que se aparte dele escolhendo seu próprio caminho. Ló faz uma escolha de alguém que realmente não conhecia o altar. Ele escolhe “a campina do Jordão”, uma terra boa para sua prosperidade econômica, e vai armando suas tendas até Sodoma, um lugar de julgamento, figura do mundo. Hebrom que significa “comunhão, união”. A cruz habilita-nos a ter aquela incessante comunhão com DEUS, aquela amizade com DEUS, aquela vida de união com DEUS. Como já disse Madame Guyon: “O SENHOR se coloca no exato lugar daquilo que Ele põe à morte em nossas vidas”.


4º.Monte Moriá - Podemos chamá-lo de altar da adoração - Gn 22.1-14). Este altar reflete a vida madura de Abraão, o quanto ele já tinha aprendido diante do SENHOR. O que vemos aqui é um homem absolutamente rendido a DEUS, a ponto de sacrificar seu único e amado filho. Um homem que amava a DEUS a ponto de confiar em Seus caminhos. Um homem que adorou no momento em que oferecia o que tinha de mais precioso.



“O SENHOR, em cuja presença eu ando...” - Gn 24.40



A marca da consagração é andar com DEUS em seus caminhos. Altar no V. T. = é uma figura da cruz no Novo Testamento, onde o verdadeiro cordeiro pascal foi imolado. O nosso SENHOR JESUS CRISTO e a cruz são inseparáveis. Sem a cruz CRISTO não é CRISTO, Ele não pode salvar-nos. Uma vida cristã sem cruz não é vida cristã de forma alguma, mas apenas um “ego” adornado com os ensinos de CRISTO. Nós necessitamos da cruz tratando profundamente conosco, para que possamos ser homens e mulheres espirituais, vivendo vidas espirituais e andando com DEUS. 


O TERMO NAZIREU - Jz 13.4,5


Esse termo nos mostra o princípio da consagração como algo fundamental para o serviço espiritual. Dois significados desta palavra na vida de Sansão:


.Essa palavra dá significado a toda a vida de Sansão.


.É uma chave para entendermos a vida de Sansão.


O SIGNIFICADO ESPIRITUAL DO NAZIREU


Em Números 6.1-8 descreve o que é um nazireu. O Nazireu é uma pessoa que havia feito um voto de ser separado para DEUS de modo especial. Durante o tempo de nazireado, essa pessoa deveria obedecer a algumas regras, às leis do nazireado.


Alguns princípios do nazireado


.Deveria abster-se do vinho e da bebida forte, bem como do fruto da videira e de outras coisas relacionadas com vinho, uva e videira.


.Sobre sua cabeça não deveria passar navalha. Ele deveria deixar seus cabelos crescerem livremente.


.Não deveria tocar o corpo de um morto, ele não deveria tocar o corpo de cadáveres.



Classes de pessoas em Israel que eram consagradas



Na história do povo de DEUS vemos que Ele separou a nação de Israel dentre todas as nações para ser uma nação consagrada a Ele, uma nação para sustentar Seu testemunho na terra. De forma específica Ele separou a A tribo de Levi para o serviço no tabernáculo, e os sacerdotes para servir diante do povo.


Qual a necessidade de se ter um nazireu?


Agora, qual a necessidade ou surge essa lei segundo a qual alguém que por livre e espontânea vontade decide consagrar-se ao SENHOR e se submete a essas regras? Para entendermos isso, precisamos entender um pouco do contexto do livro de Juízes na época em que Sansão nasceu.


Sansão viveu no tempo do sacerdócio de Eli. Nesse tempo Israel era um povo corrupto; o sacerdócio era adúltero, e o ministério estabelecido era cego em muitos sentidos. O sacerdote Eli representa o sistema religioso decadente preocupado com seus próprios interesses, havendo-se tornado permissivo pela vida cômoda, tendo apenas um ódio fingido pelo pecado. Eli se tornara lento e preguiçoso com respeito aos interesses profundos de DEUS.


Seus filhos Hofni e Finéias representam o ministério continuado pela tradição. Esses dois jovens sacerdotes nunca tiveram um encontro com DEUS. Nada sabiam sobre "ouvir o céu", nem sabiam da fome por DEUS, ou de uma paixão ardente por experimentar a glória e a presença de DEUS. O ministério ao SENHOR no tempo de Sansão era produto do ritualismo frio e morto.



O que era um sacerdote?


Um sacerdote era alguém escolhido por DEUS, que deveria ministrar ao SENHOR. Os sacerdotes deveriam representar os homens diante de DEUS e representar DEUS diante dos homens. Na época que Sansão viveu o sacerdócio estava completamente arruinado e corrompido. Nesse tempo os sacerdotes perderam completamente o motivo pelo qual haviam sido chamados. Nesse tempo eles viviam apara eles mesmos.



Qual era o propósito da função sacerdotal?


O propósito da função sacerdotal era lembrar a pessoa e da obra do SENHOR JESUS CRISTO. Toda oferta apontava para a obra e a pessoa de CRISTO. Toda vez que um israelita, criança ou adulto, ia a um sacerdote levando um cordeirinho, ele sabia que aquele cordeirinho inocente estava sendo vítima como expiação para os pecados. Da mesma forma o ministério do sacerdote. Toda vez que os israelitas vissem aquele sacerdote ministrando no Santo dos Santos, eles deveriam ter em mente que um dia viria o verdadeiro Sumo sacerdote que entraria nos céus na presença do SENHOR e faria intercessão pelos nossos pecados e iria de uma vez por todas selar aquela união entre nós pecadores e o DEUS santo. Na época do sacerdócio de Eli, nós vemos que os sacerdotes haviam perdido as suas características, eles preservavam a forma externa, mas a realidade não estava mais ali.


O PERIGO DE ESQUECER O CHAMAMENTO


Quem é que DEUS vai levantar para relembrar ao povo de Israel essa verdade tão importante da consagração? - Um nazireu.


O capítulo 13 e o versículo 1 de Juízes diz assim: “Tendo os filhos de Israel tornado a fazer o que era mau perante o SENHOR, este os entregou nas mãos dos filisteus por quarenta anos”. Esse versículo vai nos mostrar algo surpreendente; algo que nos dará um quadro da gravidade espiritual em que se encontrava a nação de Israel. Veja abaixo uma série de textos que nos mostrarão os anos em que esta nação viveu debaixo de cativeiro:


Ä Jz 3.8-11 - 8 anos;

Ä Jz 3.14-30 - 18 anos;

Ä Jz 4.1-3 - 20 anos;

Ä Jz 6.1 - 7 anos;

Ä Jz 10.6-8 - 18 anos;
Ä Jz 13.1 - 40 anos
Ä Total = 111 anos



Desde o início do livro de Juízes eles andavam naquele ciclo de pecado, apostasia, arrependimento, e assim, caíam na opressão dos inimigos. Qual a explicação para tudo isso que ocorreu com Israel nesse tempo? Foi porque, da mesma forma que os sacerdotes, o povo de Israel havia esquecido o seu chamamento. Todo fracasso de Israel foi porque eles esqueceram seu chamamento. Esqueceram que eram uma nação consagrada a DEUS. Todo o fracasso do povo de Israel era o resultado de uma só coisa: Eles haviam esquecido da sua consagração e chamamento. Eles haviam esquecido que eram uma nação de sacerdotes. Eles deveriam ser separados das demais nações para testemunhar para essas nações sobre o poder de DEUS. E por causa desse esquecimento eles caíram em cativeiro, eles caíram sob a opressão do inimigo. Praticamente, duas gerações viveram e não conhecera a razão do seu chamamento.


Sansão era a reivindicação de DEUS


DEUS estava reivindicando Seu Testemunho entre Seu povo. Quando o SENHOR DEUS quis relembrar a nação de Israel que eles precisavam viver aquela vida de consagração ao SENHOR, o SENHOR levantou um nazireu: Sansão - o juiz dos longos cabelos.




Princípios específicos sobre o nazireado de Sansão



O voto de nazireado de Sansão era um pouco diferente do voto de um nazireu comum, vejamos:

1º.Um nazireu normal era nazireu apenas durante um período de tempo determinado. Mas, no caso de Sansão, o seu nazireado era um chamamento, era uma vocação desde antes de seu nascimento.

2º.Não foi algo que Sansão tivesse feito, foi por graça e obra de DEUS que Sansão foi separado para DEUS – Ef 1.5.

3º.Também vemos que o voto de nazireado de Sansão não era temporário, mas para toda a vida.



Três princípios espirituais do nazireu


. Princípio – Ministrar ao SENHOR - Através da vida de Sansão, DEUS quer novamente lembrar ao povo de Israel o significado da consagração espiritual. Nós podemos nos perguntar: Será que existe alguma coisa em comum entre um nazireu, que é uma pessoa qualquer, e um sacerdote, que tem uma consagração oficial? Se observarmos quais os requisitos para o nazireu e os requisitos para o sacerdote, veremos que ambos são muito semelhantes. Em alguns casos os requisitos para o nazireu são mais estritos do que para um sacerdote. Por exemplo, um sacerdote não deveria tomar vinho, mas somente quando entrasse para ministrar diante do SENHOR. O nazireu, no entanto, não deveria tomar vinho durante todo o período de seu voto de nazireu. O que significa isso? É como se ele estivesse constantemente ministrando diante do SENHOR. Vamos ler 1 Coríntios 6 e os versículos 15,17 e 19: “Não sabeis que os vossos corpos são membros de CRISTO? ...Mas aquele que se une ao SENHOR é um espírito com Ele. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do ESPÍRITO SANTO, que está em vós, o qual tendes da parte de DEUS, e que não sois de vós mesmos?”. Onde quer que estejamos, somos um templo onde DEUS pelo Seu ESPÍRITO habita. Onde quer que estejamos o SENHOR está sendo ministrado.



princípio – Não tocar no corpo de um morto = Obras da Carne - O sacerdote também não deveria tocar o corpo de um morto, mas havia uma exceção. Se um parente próximo do sacerdote morresse, ele estaria autorizado a tocar o corpo daquele morto. Rm 8.6: “Porque o pendor da carne dá para a morte…”. Essa lei que dizia que o nazireu não deveria tocar o corpo de um morto corresponde para nós que vivemos no período do N.T. que não devemos andar segundo as inclinações da nossa carne; nós não devemos praticar as obras da carne. Se compreendemos esse chamamento, se compreendemos que fomos chamados para ser consagrados ao SENHOR nós vamos, pela graça do SENHOR, nos abster das obras da carne.



 princípio - Finalmente, aquela marca exterior do nazireu, os seus longos cabelos, vai nos falar das marcas da cruz no Novo Testamento. De acordo com o N.T., os longos cabelos significam algo vergonhoso, opróbrio. Sempre que tomamos a cruz, em função de termos compreendido o amor do SENHOR, nós vamos carregar sobre nós as marcas da cruz – Gl 6.16. Não é preciso dizer nenhuma palavra, mas as pessoas vão saber por causa do nosso proceder. Todas as pessoas vão numa direção, mas aquela pessoa separada para DEUS vai numa direção completamente oposta. Nós hoje compreendemos que DEUS está chamando os seus nazireus para uma vez mais restaurar o poder do testemunho do SENHOR, para trazer libertação ao povo de DEUS.



Conclusão


.Um santuário ao SENHOR;


.Não andar nas obras da carne;


.As marcas da cruz, precisamos abster-nos dos prazeres deste mundo e precisamos.



O PRINCÍPIO DA CONSAGRAÇÃO É O CAMINHO PARA O PODER DE DEUS


Nos capítulos 14 e 15 do livro de Juízes encontramos os atos heróicos de Sansão. Quando compreendemos que o princípio da consagração é o caminho para o poder de DEUS, é bastante natural que pensemos que o poder está em nós mesmos. Lendo a história de Sansão não é natural que pensemos que o poder de Sansão estava nos seus cabelos.



O Segredo da força de Sansão



Vejamos alguns textos que explicam o segredo da vitória de Sansão:

Jz 13.25: “E o Espírito do SENHOR passou a incitá-lo [Hb.: pa‘am = impelir, agir persistentemente] em Maané-Dã, entre Zorá e Estaol”.

Jz 14.6,19; (15.14): “Então, o Espírito do SENHOR de tal maneira se apossou [Hb.: tsaleach = Tomar posse – essa frase exprime intensidade]dele, que ele o rasgou como quem rasga um cabrito, sem nada ter na mão; todavia, nem a seu pai nem a sua mãe deu a saber o que fizera”.



O SENHOR era com ele, esse era o segredo de Sansão. O Espírito do SENHOR era a fonte da força dele. Onde reside o poder espiritual, a fonte do poder espiritual daquele que é consagrado a DEUS, daquele que é separado para DEUS? A fonte do poder espiritual está neste fato: o Espírito do SENHOR era com Sansão, a presença do SENHOR era com ele. Aquele que é consagrado para DEUS tem força, mas essa força reside no Espírito do SENHOR que é com ele.


A Força e a fraqueza em nosso interior


Quando lemos a história da vida de Sansão, ficamos com a nítida impressão, de que Sansão é alguém tão forte, mas por outro lado, ele é tão fraco. Parece que nele havia uma fonte de força e, ao mesmo tempo, uma fonte de fraqueza. Qual dessas fontes Sansão iria seguir? Nós cristãos, também temos, por um lado, a fonte de força, o SENHOR é conosco. Por outro lado, também temos a fonte de fraqueza, nós temos uma carne.

Agora nós vemos que pelo fato de Sansão ter em si a força de DEUS em função de sua consagração, ele tinha tudo para ser um juiz de Israel e trazer a libertação para o povo de Israel. Veja dois textos:

Pv 24.10: “Se te mostras fraco no dia da angústia [hb.: tsarah = dificuldades, aflição], a tua força é pequena”.

Pv 31.25: “A força e a dignidade [Hb.: hadar = ornamento, esplendor, honra, glória] são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã, não tem preocupações”.




A Perda da Força foi algo gradativo



Os inimigos de Sansão sempre procuravam roubar a sua força, e eles finalmente um dia conseguiram triunfar sobre ele:

Jz 16.5,6: “Então, os príncipes dos filisteus subiram a ela e lhe disseram: Persuade-o e vê em que consiste a sua grande força e com que poderíamos dominá-lo e amarrá-lo, para assim o subjugarmos; e te daremos cada um mil e cem siclos de prata. Disse, pois, Dalila a Sansão: Declara-me, peço-te, em que consiste a tua grande força e com que poderias ser amarrado para te poderem subjugar.


Jz 16.17,19: “Descobriu-lhe todo o coração e lhe disse: Nunca subiu navalha à minha cabeça, porque sou nazireu de DEUS, desde o ventre de minha mãe; se vier a ser rapado, ir-se-á de mim a minha força, e me enfraquecerei e serei como qualquer outro homem. Então, Dalila fez dormir Sansão nos joelhos dela e, tendo chamado um homem, mandou rapar-lhe as sete tranças da cabeça; passou ela a subjugá-lo; e retirou-se dele a sua força”.


Ele vai a Gaza e se deita com uma prostituta – Jz 16.1.


Depois ele afeiçoou de Dalila [Hb = “fraco] – Jz 16.4.


Nós sabemos que os seus inimigos tentaram de todas as maneiras roubar a força de Sansão, até que um dia Sansão perdeu seu nazireado. Todavia, a perda do nazireado de Sansão não foi uma coisa imediata, ela foi gradativa, pouco a pouco. Lendo a história de Sansão, percebemos que pouco a pouco ele vai sendo roubado daquele chamamento. No final, ele perde as marcas do nazireado sobre a sua cabeça.



O Exemplo de Ló


Na vida de Ló podemos ver o poder sedutor do mundo sobre a carne. Quando nos convertemos nossa preocupação e vencer o pecado e depois lidar com o mundo.



A contaminação do mundo – Gn 13.10-13


A Bíblia nos mostra que a contaminação do pecado e feroz, rude e repulsiva, enquanto a produzida pelo mundo e polida e refinada, freqüentemente parecendo bela a vista humana. Nesses textos podemos ver como Ló foi seduzido por aquela “campina do Jordão”. Quero fazer cinco proposições que nos ajudarão a compreender nossa própria realidade contextual:


proposição – A concupiscência dos olhos: “Levantou Ló os olhos”. Aqui está a concupiscência dos olhos que domina seu coração. Aquilo que os olhos vêem o coração deseja. 


Em 1 Jo 2.16: “porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo”. O termo “concupiscência” no original é epithumia, que significa: “desejo”, “anelo”, “anseio”, “desejo pelo que é proibido”, “luxúria”.



proposição – A contenda dos pastores veio revelar o mundanismo no coração de Ló. Essa foi à causa que ele teve para se expor. A verdadeira causa dos nossos fracassos encontra-se oculta, longe da observação normal, nos lugares mais secretos e íntimos dos nossos afetos e desejos do coração, onde o mundo, sempre é desejado. A causa aparente da queda de Ló foi a contenda entre seus pastores e os de Abraão seu tio; porém, o fato é que quando alguém não anda realmente com um motivo verdadeiro e afeiçoes puras, facilmente encontrará uma pedra para tropeçar. Se não encontra numa situação, encontrará noutra.



proposição – Não podemos permitir que nosso coração exerça em nós o poder da escolha. Por que as “campinas” não seduziram o coração de Abraão? Abraão diferentemente de Ló, encarou toda aquela situação do ponto de vista de DEUS. O coração de Abraão não era diferente do coração de Ló; ele poderia ter sido facilmente atraído por aquelas “campinas”. A questão, foi que Abraão não deixou que seu coração escolhesse. Ele deixou DEUS escolher por ele. Sua decisão tinha que ser espiritual.



proposição – Não podemos escolher pela aparência, e sim, devemos voltar nosso coração para o caráter intrínseco do nosso destino e ao futuro de todas as coisas. Quando estudamos toda a trajetória de Ló, vemos que ele deixou Abraão, e seguiu para a “campina do Jordão” e assim, foi “armando as suas tendas até Sodoma”; um lugar onde DEUS mais tarde trouxe o seu juízo. É certo que nem Abraão e Ló sabiam que DEUS iria destruir Sodoma. Mas, se Ló tivesse permitido DEUS escolher por ele, com certeza, ele não teria escolhido um lugar que estava prestes a ser consumido pelo juízo de DEUS. A Escolha de Ló revela a compulsão do coração caído; do coração que é seduzido por esse mundo perverso. Paulo disse a Timóteo: “Demas me abandonou, tendo amado o mundo...” – (2 Tm 4.10). O que significa essa escolha de Ló, assim com também a de Demas? Significa, deixar o lugar onde DEUS está, o lugar do testemunho para o lugar do juízo.



proposição - Toda a escolha de Ló, o levou a uma vida vazia e sem significado. No versículo 10, diz assim: “como quem vai para Zoar”. Essa palavra “Zoar” em hebraico é “insignificância”. Ela resume toda a vida de Ló após se afastar do Lugar onde estava o testemunho de DEUS.



SOMOS PROVADOS NAQUILO QUE É NATURAL


Se buscarmos entender o significado espiritual dessas mulheres que tentaram enfraquecer o chamamento de Sansão, descobriremos algo muito interessante. Veremos que Sansão foi provado naquilo que é natural, ele foi provado naquilo que é obra da carne, e foi também provado naquilo que é satânico.




Três passos da Queda na vida de Sansão



A Queda de um cristão tem três passos:


1º.O natural nos é falado através daquela primeira mulher com a qual Sansão queria casar-se – Jz 14.2. Sansão viu. Seus pais lhe disseram o seguinte – v.3: “porém...”. Eles estivessem lembrando Sansão que ele era separado para DEUS. Como então ele iria entrar em aliança de casamento com o próprio inimigo? Vemos, então, que desde o princípio essa mulher era um desejo natural de Sansão que não estava debaixo do controle do SENHOR. Sansão não levou aquilo que era do homem natural para cruz e então vemos que de alguma forma aquele chamamento de Sansão de ser separado para DEUS já estava sendo atacado.



.Aquilo que é da carne nos é falado através da mulher prostituta com quem Sansão coabitou – Jz 16.1. Isso vai nos falar de Sansão sendo tentado pelas coisas que são da carne. Qual é a conseqüência quando andamos segundo as inclinações da nossa carne? Nós vamos nos encontrar fechados numa cidade no meio da noite, cercados pelos inimigos que querem nos tirar a vida. Quantos de nós passamos anos, não são dias nem semanas, mas anos trancados por causa do cativeiro das obras da carne? São anos! Veja o versículo 3: “levou-as para cima, até ao cimo do monte que olha para Hebrom” - Isso traz uma lição para nós. Se algum de nós tem andado debaixo desse cativeiro que são as obras da carne, que o SENHOR nos fortaleça. Que nós saiamos dessa esfera das inclinações das coisas da carne e possamos ir até aquele lugar onde podemos vislumbrar a comunhão com o SENHOR e a comunhão com os santos. Infelizmente sabemos pela história relatada na Bíblia, que essa lição não foi suficiente para Sansão aprender.



.Finalmente, aquilo que é satânico nos é falado através de Dalila. Desde o princípio, Dalila tinha um só propósito: roubar a consagração de Sansão, destruir o poder do testemunho de Sansão e destruir o próprio Sansão. Ele havia andado nos caminhos do homem natural, praticado as obras da carne. Agora ele está se aproximando daquilo que é satânico. A Bíblia nos diz que Sansão se afeiçoou a Dalila e que desde o princípio Dalila tinha um único objetivo, que se resumia na pergunta: qual é o segredo da tua força? - Jz 16.6,15. Pv 5.3: “porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite”. Sabemos que Dalila nos fala de algo que é satânico porque por trás dela tinha os filisteus, mas não só os filisteus, a Bíblia nos diz que os príncipes dos filisteus estavam por trás de Dalila.




Jz 16.5,9 - Aqui vemos um princípio muito interessante.



O que será que esses filisteus e seus príncipes representam? Eu acredito que eles representam o mundo. De alguma forma aqueles filisteus tinham como único objetivo: roubar a consagração de Sansão. Mas por trás disso estavam os príncipes dos filisteus. Da mesma forma conosco hoje, o inimigo tem um único objetivo: roubar a nossa consagração.


Mas como o inimigo ataca?


Indiretamente através do mundo. Nós vemos que em nenhuma ocasião os filisteus confrontaram Sansão. O inimigo não vai nos atacar, ele vai usar o mundo. E a nossa bíblia nos diz, embora muitas vezes nós não compreendamos o que isso significa, a nossa Bíblia nos diz que o mundo jaz no maligno – 1 Jo 5.19. 

1º.Nós vemos que a primeira vez que os filisteus queriam atacar Sansão eles usaram aquela mulher que seria sua esposa.

2º.Eles usaram até a tribo de Judá porque eles queriam pegar Sansão, então eles vão fazer guerra contra Judá. Por que eles não vão direto para a caverna onde Sansão está para atacá-lo?


O inimigo não nos ataca diretamente


Se os príncipes dos filisteus queriam saber qual o segredo da força de Sansão, por que eles não perguntaram diretamente para Sansão? Eles deveriam ter ido até Sansão e lhe perguntado: "Sansão, qual é o segredo da tua força?". Mas eles sabiam que essa estratégia não iria funcionar, eles sabiam que não iriam descobrir o segredo da força de Sansão se eles o atacassem diretamente. E é exatamente assim que o mundo faz conosco. O inimigo nunca nos ataca diretamente, ele sempre nos ataca de maneira traiçoeira e por intermédio de coisas que nos seduzem.




UMA ANÁLISE DA QUEDA DE SANSÃO



Jz 16.6 - Vemos que Dalila lhe pergunta: "Onde reside tua força, Sansão?". Ele diz que se lhe amarrarem com sete tendões frescos, eles vão conseguir enfraquecê-lo – Jz 16.7. Nesta relação entre Sansão e Dalila, Sansão também não entregou o seu segredo completamente e de imediato. Foi tudo gradual. Todavia, ele vai de alguma forma dando algumas indicações.


O que significa amarrar com 7 tendões frescos?


Frescos - significa algo que nunca foi usado, isso é consagração. De alguma forma, Sansão está dando indicações de algo que está escondido nele, que está na consagração dele o segredo da sua força.


Jz 16.10 - Dalila pergunta ainda uma segunda vez e ela lhe diz: "Sansão, tu estás zombando de mim, tu só estás me contando mentiras". É exatamente assim que o mundo faz. Quando queremos ter aquela vida separada para o SENHOR, o mundo diz: "Ah, tu não me amas". Então Sansão vai dizer que o segredo dele está de alguma forma nas tranças dos seus cabelos. Ele está chegando cada vez mais perto de revelar seu segredo. Se naquele momento ele lembrasse de que era separado para DEUS, que ele não deveria ter-se apegado àquela mulher chamada Dalila e fugisse daquela situação, como o final da história de Sansão seria diferente!


O perigo do Mundo


.O mundo nos oferece coisas - É assim que o mundo faz conosco vai nos oferecendo coisas, vai nos oferecendo amizades, vai nos oferecendo oportunidades e nós vamos negligenciando a nossa consagração.


.O mundo exige 100% - Nos é dito que a cada dia Dalila molestava Sansão com suas palavras. Sabe o que ela dizia para Sansão? "Sansão, tu não me amas". Quando começamos a crescer na vida de consagração para o SENHOR, quando começamos a crescer nessa vida de união com o SENHOR automaticamente vão se excluindo as nossas ligações com o mundo.





Seis assertivas acerca da vida de Sansão



. Sansão não tinha falado antes que ele era um nazireu de DEUS para Dalila, Porque no momento em que ele falasse ele teria de separar-se dela.


.16.17 – “Nunca subiu navalha à minha cabeça, porque sou nazireu de DEUS, desde o ventre de minha mãe; se vier a ser rapado, ir-se-á de mim a minha força, e me enfraquecerei e serei como qualquer outro homem”. Esta foi a versão de Sansão, mas qual foi a versão do SENHOR? No final de Jz 16. 20, a Bíblia vai nos dizer que o SENHOR se apartou dele. A força de Sansão saiu dele porque “o SENHOR se tinha retirado dele”.


. Sansão estava cansado, ele cansou de lutar, adormeceu no colo de Dalila. E Dalila teve o cuidado não só de cortar o cabelo de Sansão, daquele separado para DEUS, mas ela rapou a cabeça de Sansão até que não sobrou um só vestígio de que ele era um homem consagrado para DEUS.


. Se nós tivermos uma Dalila em nossa vida, mais cedo ou mais tarde, ela vai arrancar a nossa consagração, ela vai arrancar a marca da nossa consagração e então nós vamos ter um fim triste como o de Sansão.


. Agora nos é mostrado neste livro algo muito interessante. Duas vezes em Juízes está registrado que Sansão clama ao SENHOR.


Jz 15.18 – Neste texto ele clama ao SENHOR, porque não quer morrer; aqui ele teve uma grande vitória e depois teve sede. Então ele disse: "Depois dessa tão grande vitória, morrerei eu?". Sansão não quis morrer, ele não quis deixar a sua vida natural na morte, ele não quis deixar as obras da carne na morte. Depois disso, ele caiu, caiu, caiu até chegar a esse fim tão humilhante.


Jz 16.30 - “E disse: Morra eu com os filisteu”. Só há vida de DEUS em nós se a morte do nosso SENHOR JESUS CRISTO tiver operado na nossa vida. A Bíblia nos relata que quando Sansão orou: "morra eu", de novo ele tem força de DEUS, de novo ele destrói os filisteus. E está escrito que foram mais aqueles que Sansão destruiu na sua morte do que aqueles que ele destruiu na sua vida.

.Três vezes Dalila pediu a Sansão que revelasse a fonte de sua força. Três vezes Sansão deu-lhe uma resposta mentirosa. Três vezes os filisteus vieram para dominá-lo, mas foram vencidos por ele. No entanto, nesses encontros, não há qualquer menção do ESPÍRITO vindo poderosamente sobre Sansão. Por causa do louco flerte de Sansão com o pecado, o SENHOR já havia se retirado dele.



Por Luiz Fontes  COM APRESENTAÇÃO E CORREÇÕES DO "O PREGADOR"

2 comentários:

  1. EXCELENTE estudo!!!!!!!!!!!!!!!!! Em nome de Jesus, que você seja cheio e revestido de toda Presença e autoridade do Espírito Santo de Deus para continuar ministrando com estudo aprofundados e datalhados da Palavra!!!! Deus te abençoe!!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom...Vou dar essa aula para os JOVENS no domingo.
    Um abraço.
    Fica com DEUS.

    ResponderExcluir

O QUE ACHOU DESSE ASSUNTO?

Arquivo do blog

CLIQUE NA IMAGEM E FAÇA O DOWNLOAD DESSE E-BOOK

CLIQUE NA IMAGEM E FAÇA O DOWNLOAD DESSE E-BOOK
Clique na imagem acima e saiba como fazer o download desse importante e-book

TEOLOGIA EM DESTAQUE: DIVERSAS POSTAGENS


26 Ago 2010
Nessa postagem quero deixar claro que dentre as diversas teologias usadas ( teologia popular, teologia leiga, teologia ministerial, teologia profissional e teologia acadêmica ) a que move a igreja e faz avançar o seu ...
27 Out 2011
Por experiência entenda-se todas as comprovações factuais acerca do que se crê conforme a teologia crida, seja essa oficial, oficiosa, leiga, individual, etc. Assim posto, é necessário colocar que o que me fez tocar nesse ...
25 Ago 2010
A teologia leiga é portanto um passo além da teologia popular, na verdade uma passo acima. Quando um crente dedica-se mais sistematicamente a investigação da sua fé , buscando uma melhor forma de não só expor o ...
11 Jan 2011
Conforme postagens anteriores que esclarecem a diferença entre teologia oficial e leiga, evidentemente em todas as igrejas há, por parte de seus membros uma teologia mais popular e uma teologia pessoal. Mesmos ...

links úteis

Atenção!

TODAS AS NOSSAS POSTAGENS TRAZEM ABAIXO LINKS PARA COMPARTILHAMENTO E IMPRESSÃO E SALVAMENTO EM PDF. NO CASO CLIQUEM 'JOLIPRINT' E UM SITE CONVERTERÁ O POST EM UM PDF AGRADÁVEL DE SER SALVO E PORTANTO GUARDADO PARA LEITURA POSTERIOR ( fica visível em alguns navegadores, aproveite essa funcionalidade extra! )

CRISE NO CATOLICISMO

ACESSE JÁ CLICANDO NO LINK ABAIXO

ACESSE JÁ CLICANDO NO LINK ABAIXO
VÁRIAS VERSÕES, ESTUDOS SOBRE CADA LIVRO DAS ESCRITURAS

NÃO PERCA UMA POSTAGEM DIGITE ABAIXO O SEU E-MAIL OU DE UM AMIGO

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

ATUALIDADE ! CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E LEIA AGORA MESMO!

ATUALIDADE ! CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E LEIA AGORA MESMO!
NÃO PERDER O FOCO...QUAL O REAL PRINCÍPIO DO CULTO? CLIQUE NA IMAGEM ACIMA E ACESSE

CURSO TEOLÓGICO GRÁTIS! *HÁ TAMBÉM OUTROS CURSOS DISPONÍVEIS

PARA FACILITAÇÃO DA LEITURA DE NOSSAS POSTAGENS INSTALE JÁ!

O iReader é uma extensão para o Google Chrome ou para o Firefox. A instalação para ambos ou apenas um dos browsers é rápida e simples, lembrando somente que devem ser reiniciados para que a ferramenta esteja funcional.

Para proceder a instalação clique no link a seguir conforme o caso e sua escolha. Tanto na instalação no Firefox ou no Google Chrome essa extensão ficará em perfeita funcionalidade ( seu Sistema Operacional será identificado automaticamente ,seja Windows ou Linux ). Aproveite!

**
Mais dicas AQUI

QUEM INVENTOU O APELO NOS CULTOS?

SOBRE O LIVRO DE GÊNESIS, LEIA AS PRINCIPAIS POSTAGENS

25 Nov 2010
Tenho algumas vezes, em minhas despretenciosas reflexões ( despretenciosas por não terem o tom acadêmico e muito menos professoral, são apenas reflexões ), dito que se não se crer no que o Livro de Gênesis declara, não é necessário ...
31 Jan 2011
-A razão das atuais, ou pelo menos de predominância histórica, das condições existenciais e morais do homem têm no Gênesis a sua satisfatória resposta. A existência de condições nem sempre e totalmente favoráveis a nosso conforto ...
11 Jan 2011
Como parte do pentateuco, o Gênesis, depreciado modernamente graças a nossa submissão e endeusamento da ciência, que com a sua contribuição à saúde, tecnologia e construção material da sociedade, pouco ou quase nada tem a dizer sobre ...
21 Nov 2010
A religiosidade cristã moderna ou atual, de há muito tem se contentado e desprezado as narrativas de Gênesis, precioado por parte majoritária de setores quase que totais do mundo científico e da falsa sensação de que tudo pode ser ...

O GÊNESIS, COM NARRAÇÃO DE CID MOREIRA E IMAGENS

NÃO DEIXE DE LER OS SEGUINTES POSTS DENTRE OS MAIS LIDOS...

29 Mai 2010
UM LIVRO OBRIGATÓRIO PARA CATÓLICOS E EVANGÉLICOS ACERCA DA ERRÔNEA CULTURA DO CULTO A MARIA. Recebi por indicação do irmão Jorge Fernandes Isha, um e-book gratuito, de leitura obrigatória para os evangélicos e para ...
16 Fev 2010
Judas era o mais culto, de origem e status social diverso dos demais, de outra cidade, e foi substituído não pelo apóstolo dentre os discípulos eleito pelos demais, por própria escolha de Jesus, após a morte de Estevão, Saulo, discípulo de Gamaliel, provavelmente o mais preparado ...Melquesedeque, Maria , José, e tantos outros. Deus se dá a conhecer plenamente a cada um que o ama. O ue Ele fará na história as vezes não noscompete saber, as vezes sim. Essa é a diferença. ...
19 Mar 2010
Tal qual os fariseus, põem não poucos impencilhos que vão desde reparações a pregação simples e com pouca ligação com a hermeneutica e pregação convencionais, a música, letra das canções, a ordem do culto, forma dos apelos e ... Essa pessoa , esse novo crente, como filho ou filha de Deus de fato, tem agora uma nova vida, como Madalena, Zaqueu, o Gadareno, o Centurião, Nicodemos,o ladrão da cruz, Marta e Maria, Lázaro ( não necessariamente nessa ordem ), e tantos outros. ...
04 Mar 2011
Nesse aspecto seria legítimo um católico cultuar Maria como N.Senhora, um muçulmano a Maomé como seu legítimo profeta, um budista como objeto de culto, e assim por diante. Todoslçegitimamente amparados por sentimentos sinceros e ...
English (auto-detected) » English




English (auto-detected) » English


English (auto-detected) » English

VISITE JÁ UM BLOG SOBRE ATUALIDADES RELIGIOSAS E FATOS IMPORTANTES NO MUNDO

VISITE JÁ  UM BLOG SOBRE ATUALIDADES RELIGIOSAS E FATOS IMPORTANTES NO MUNDO
CONTANDO OS NOSSOS DIAS ACESSE JÁ. CLIQUE AQUI!

ESTUDE EM CASA.TRABALHE EM CASA!

leitores on line

Esse blog está incluido no

esse blog está cadastrado também no

Central Blogs

ESSE BLOG É APOIADO PELO

LinkaGospel seu agregador de notícias cristãs

OPORTUNIDADE!

"O PREGADOR TV" DIRETO EM SEU NAVEGADOR

"O PREGADOR TV" DIRETO EM SEU NAVEGADOR
EM DESTAQUE: SHOW DE M. W. SMITH NA HOLANDA NA ÍNTEGRA E MUITO MAIS EM UMA WEBTV. CLIQUE NA IMAGEM ACIMA

LEIA: E-BOOKS EVANGÉLICOS GRÁTIS Clicando na imagem a abaixo você fará os downloads dos mesmos